sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Stefan Sagmeister

Poster for AIGA lecture in Cranbrook, Michigan, 1999

School of Visual Arts
"Achar que a vida será melhor no futuro é estúpido, tenho que viver agora"


quarta-feira, 26 de novembro de 2008

David Pascal


Comic Paintings, em exposição no MASP em 1973

David PAscal é autor do livro "Comics, the art of the comic strip". Sua presença já foi notada em São Paulo, no I Congresso Internacional da História em Quadrinhos, que o Museu de Arte Moderna de São Paulo organizou em 1970.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Geoffrey Tory

Página do Champ Fleury, um livro de Geofroy Tory (ca. 1480-1533).

As letras decoradas, também conhecidas como alfabetos figurativos, foram tema de trabalhos diversos, como os que se pode ver aqui. A maioria destes alfabetos são formados por figuras humanas.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Johannes Itten





Utopia: documentos da realidade, páginas do livro publicado na Bauhaus, 1921

sábado, 8 de novembro de 2008

Lee Se Young




Trabalhos do designer coreano, publicados na revista Idea.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Rudolf Koch






Estudos de caligrafia do tipógrafo alemão Rudolf Koch

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Apollinaire

Le Bouquet, 1917
(O Buquê)
L´horloge





Coeur, coronne, miroir
(coração, coroa, espelho)

A pomba e a fonte d´água
O caligrama pretende apagar ludicamente as mais velhas oposições de nossa civilização alfabética: mostrar e nomear, figurar e dizer; reproduzir e articular; imitar e significar; olhar e ler. Foucault, Michel. Isto não é um cachimbo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989, p. 23

Il Pleut


La cravate


Caligramas de Guillaume Apollinaire

terça-feira, 4 de novembro de 2008

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

oriente e ocidente

Franz Kline em seu estúdio na14thSt, NY, 7 April 1961

Abdelkebir Rabi

Rémy Peignot

Univers, 1960


Calligraphie
«La présence vivifiante de la main dans le graphisme de la lettre reste le seul moyen de la réveiller de son sommeil séculaire. Seul, le geste de l’écriture permet de rendre aux signes alphabétiques une certaine chaleur humaine, à l’instar de la voix dans l’audition. »

Caligrafia
"A presença vivificante da mão no grafismo da letra é o único meio de despertá-la de seu sono secular. Sozinho, o gesto da escritura permite dar aos signos alfabéticos um pouco de calor humano, como a voz para a audição"

Rémy Peignot citado por seu irmão, Jerome.

domingo, 2 de novembro de 2008